Contraditório?



Contraditório?


Deus não nos fala coisas apenas pra que as tuitemos, publiquemos em nossos blogs, artigos de jornais, ou façamos canções. Com Deus é mais prática que filosofia. Jesus (até onde se sabe) não escreveu livros mas seus ensinamentos perduram até hoje. Porque? Ele não era teórico, mas prático. Por isso Jesus não é sujeito, predicado, pronome ou outra coisa senão, VERBO. Vivo, ativo, atuante. Agora, adianta ter essa compreensão e usá-la pra me promover? Blogar, tuitar, filosofar? Sem que haja ATIVIDADE/ATITUDE em minha vida? Uma coisa não exclui a outra. Escrever é benção (mas), vivenciar é (+) benção!
Não sei se vocês compreendem aonde estou querendo chegar. Mas idéia é que palavras Rhema vem até nós e a gente publica e para por aí. Esse é problema. Quando a gente acha que se resume a isso, a publicar. Assim, indiretamente, a gente diz: "Essa palavra não é para mim, é para fulano, ciclano precisa ouvir isso, ah! Se beltrano estivesse aqui! ..." Esquivando-se assim do maná diário de nossas vidas.
Meus textos surgem da Palavra de Deus, de compreensões, meditações, ou inspirações que podem vir a qualquer momento, inclusive sobrenaturalmente. E meu medo é que eu me iluda pensando que são apenas textos ou canções, poesias ou roteiros, etc ... que só servem pra serem publicados e nada mais.
Minhas palavras precisam ser libertas do papel, ou, no caso, das telas de computador. Libertas do papel ecoariam o mundo, abalariam o inferno e subiriam ao céu entregando, produzidos, os frutos para o qual fora enviada por nosso Pai. Frutos esses, que devem serr vistos principalmente em minha  vida.


Rhema - Uma palavra rhema é uma direção específica da parte do Senhor.

Dude...