MEIO


COMEÇO

Ignorar aumenta o desejo
nega o ensejo
protela o despejo
e só o que eu queria
era de novo o teu beijo

Dizer que não me quer
e vir até mim
puxar um assunto só para dizer que não é
não é simples assim

Porque eu sei, você ainda está afim
Eu sei, porque você está em mim
Eu olho no espelho, não vejo mais fim
Quero ver você, estou cansado de mim

Se você entrasse no meu peito
Se contemplasse meus defeitos
mas tua paixão me faz perfeito
pois te cega, anula e suprime seus conceitos

Só que sou homem, e não somente,
sou eu mesmo.
não somem meus erros, não somem da mente
se somam mesmo, um a um, a esmo
são meus, são sementes

A diferença é que talvez eu saiba esconder
tanto que a poesia quando toma o rumo de me revelar,
de meus defeitos desmascarar,
eu crio uma nova rima,
jogo palavras por cima,
e assim, sem você perceber,
eu começo a desviar
E para parar de falar de mim
eu coloco, para acabar, aqui a palavra FIM.