Nós e nossos nós


Entre eu e você não existe nós.
Desamarrados, desenlaçados, calou-se a voz.

Mudou-se o curso. Da nascente à foz.
Emudeceu-se. Nada resta após.

De todos os nós, o que restou, é na garganta o nó...
Que nada suplanta o fato de estar só.

Sem a voz.

Sem o nós.

Sem nossos nós.